Discurso de Posse Do Cel Cantidio na Posse da Presidência da CONFAMIL

Brasília, 19 de agosto de 2015 ,

Exmº Sr Presidente da Comissão Eleitoral
-Gen. Bda. José Vilhena Bittencourt e integrantes da mesa;
-Autoridades Presente e Membros dos Conselhos;
-Srs Presidentes de Associações, Clubes e Federações vinculadas à Família Militar;
-Amigos que honram com sua presença;
Este é um momento para nós muito importante envolvendo sentimentos de Emoção,
Esperança e Alegria.
Emoção - Por chegamos a Presidência da CONFAMIL, organização fundada dirigida por amigos que nos antecederam – alguns que se encontram no plano Espiritual, outros aqui presentes como Gen Vilhena e Comandante Campello que nos fazem lembrar a responsabilidade em dar seqüência aos trabalhos já implantados com sucesso.
Esperança - Pela chegada de nossos irmãos e irmãs que vem emprestar suas experiências para juntos reunirmos toda Família  Militar e Simpatizantes, Dispersos por todo território  Nacional somando mais de 60 agremiações e 5.200,00 pessoas  que conosco anseiam melhores dias para a Família Militar e para todo o Brasil.
Será uma tarefa árdua, mas muito possível e prazerosa por contar com uma Base Sólida erigida pelo meu antecessor - Comandante Campello, a qual iremos utilizar com a sua ajuda. É importante que ressaltemos o concurso agora de varias Asmirs e seus Presidentes que integram a Direção da CONFAMIL, como é o caso das ASMIR de Pernambuco, Manaus, Santa Catarina, Brasília (FAMIL/DF) E Ribeirão Preto. Muitos outros chegarão na nova estrutura da CONFAMIL que estará  sendo concluída em próximos meses.
Alegria - Por ter certeza que aqueles que até aqui trouxeram a CONFAMIL,continuarão conosco nos aconselhando, debatendo e implantando os Projetos para tornarmos a nossa Confederação um órgão atuante e de colaboração com as nossas Forças Armadas, sem jamais querermos ultrapassá-las ou substituí-las, mas amparando a Família Militar implantando e ajudando implantar ações que melhorem as condições dos Familiares da Ativa, Inativas e Pensionistas.
Não será fácil, mas quem não vive para servir, não serve para viver e esta é a base da nossa alegria.
Ao Finalizar não poderia deixar de agradecer a todos que colaboram com a administração do Comandante Campello que dedicou seus últimos 10(dez) anos à CONFAMIL. Em 2 períodos fui seu Vice-Presidente e posso atestar  a sua dedicação,probidade e zelo em tudo que fez por nossa agremiação.Sei como sofreu pela exigüidade de recursos e com a incompreensão de alguns,achando por bem se afastar do convívio salutar que aqui sempre  reinou.Precisamos que o Comandante Campello e sua equipe permaneça conosco,ainda porque passa a ser membro do Conselho Consultivo  - Nato. O nosso Vice - Presidente Ten. Ramos também o era na administração passada fato que nos liga ainda mais com a administração que ora se encara.
Obrigado a todos.  Fraterno Abraço.
Brasil Acima de Tudo.
Cantidio Rosa Dantas
Cel - Refo EB
Presidente da CONFAMIL
 
Respeito

Assentada a poeira da insensatez e da ignomínia de condutas exacerbadas de indivíduos renitentes à prática democrática, impõe-se, neste momento, oferecer uma resposta aos civis que se solidarizaram com a reserva firmando suas assinaturas no ALERTA A NAÇÃO. Digo isso porque entendo que a par dessa solidariedade, o gesto assumido envolve algo mais substantivo focado na busca de uma ressonância capaz de servir como abrigo interpretativo de seu desalento diante de tantas afrontas feitas aos valores éticos e morais que sempre nortearam a sociedade, balizando a trajetória de comportamento das pessoas em sua interação social. Caos seria a palavra exata para expressar o desarvoramento em que se posiciona a dinâmica social do País, dando-nos a sensação de que tudo o que nos envolve deva ser interpretado como sendo relativo, quer se trate de valores, quer se trate de ações administrativas em todas as esferas do poder civil. O fato é que nesse amálgama de forças desagregadoras e comprometedoras da integridade do tecido social, fermenta o credo de que a vida da sociedade se comporta como uma selva na qual só sobrevivem os que detêm o poder nas mãos, já que o resto serve apenas como coadjuvantes de uma peça em que prepondera o monólogo preconceituoso, e assim mesmo, eivado de atitudes autocráticas. Tudo isso que ora se coloca destina-se a tentar compreender a razão pela qual nós, cidadãos militares e civis de formação moral e ética ilibados, somos diuturnamente afrontados em nossos paradigmas de vida, devemos curvar-nos aos que se julgam poderosos esquecendo eles que, por mais que insistam em suas pregações, sempre encontrarão opositores que os farão refletir sobre a transitoriedade de suas permanências no ápice do poder. A dinâmica da vida se comporta como uma senoide, e isso, sim, a relativiza, o que seguramente gera insegurança e premência na tomada de decisões que assegurem conquistas antes inimagináveis. Vivemos um momento de no qual as instituições transitórias do poder se acham desgastadas em sua essência; a corrupção é um fato incontestável e uma constante no dia a dia que vivenciamos. Acostumados no meio sindical a chafurdar em negociatas e priorizar o desrespeito a ordem institucional vigente, as vivandeiras de plantão insistem em envolver as instituições permanentes representadas pela Marinha, o Exército e Aeronáutica, nesse mesmo processo deletério no qual prepondera a irresponsabilidade e o descompromisso com os superiores interesses do Estado brasileiro. Respeito é a palavra que direcionamos a essa turba de desqualificados para a vida no trato de instituições que jamais poderiam tê-los como integrantes de seus quadros. Isso não é um pedido que fazemos, mas uma exigência que impomos à nossa condição de militares. Não tenham a ilusão de pensar que somos dispensáveis, pois não existe ninguém que possa substituir-nos. As agremiações tão propaladas como defensoras do poder vigente não podem, nem de longe ombrear-se com o trabalho do militar, pois falta-lhes o essencial que é o amor a Pátria e o sacrifício de suas vidas em defesa dessa mesma Pátria e do povo que nela se abriga. A nossa ideologia é o Brasil e não essa escória ideológica que o mundo rejeitou e que muitos no nosso País se apegam como recurso para ambições pessoais inconfessáveis. RESPEITO, RESPEITO, RESPEITO, isso sempre exigiremos e iremos cobrar desses infelizes ideólogos. AQUI ESTAMOS E SEMPRE ESTAREMOS.

Waldemar da Mouta Campello Filho
Capitão-de-Mar-e-Guerra
Presidente da CONFAMIL
Coordenador do Sistema Confamil


Persnalidades Revolucionárias

A CONFAMIL, com o propósito de relembrar às gerações do passado e a juventude do presente, decidiu divulgar para conhecimento de todos a apresentação dos slides que expõem a realidade do que aconteceu nos idos de 1964. Não vejo razão para discutir o mérito do acontecido, pois os textos e as imagens são por demais esclarecedoras e descortinadoras do véu que insistentemente tentam colocar sobre a verdade histórica do Movimento Contra-Revolucionário de 1964. O Direito a Memória e a Verdade expressa uma realidade que todos precisamos saber, em particular, os biltres que integram a "justiceira" Comissão da Verdade.


Waldemar da Mouta Campello Filho
Capitão-de-Mar-e-Guerra
Presidente da CONFAMIL
Coordenador do Sistema CONFAMIL


Personalidades Revolucionárias

Desenvolvimento

A ação política tem o seu desenvolvimento pautado no objetivo de resgatar os valores morais e éticos da população brasileira, bem como a dignidade e integridade das instituições, e criar uma representatividade política nos três níveis de poder, municipal, estadual e federal.

Assine Nossa Newsletter

E Receba nossas novidades em seu email

SCLN 302 - Bloco B - Sala 101
Cep: 70.723-520
Brasília-DF
Brasil

Telefone: (61) 3327-3409