Famil/Confamil

DOLOROSAS VERDADES DITAS POR UMA CIDADÃ CIVIL, PATRIOTA E PROFUNDA CONHECEDORA DAS FORÇAS ARMADAS

Os Comandantes Militares deveriam fazer um mea culpa após tantas lições atiradas em suas faces, por sua silenciosa e vergonhosa passividade diante dos fatos narrados.

sábado, 6 de fevereiro de 2021

Uma retrospectiva, especial, para o General Pujol, atual Comandante do Exército


Artigo no Alerta Total - www.alertatotal.net

Por Aileda de Mattos Oliveira
Professora. Membro da Academia Brasileira de Defesa

Desde o dia 13 de dezembro de 2020, venho tentando, sem sucesso, assimilar as palavras do Comandante do Exército, General Edson Leal Pujol, impulsivas e veementes, mas que carecem do suporte das ações correspondentes. Isso fica claro, ao analisarmos o seu conteúdo, de acordo com a realidade vivida pelo Brasil nos anos de depredação do País, durante os governos petistas e ao constatarmos as consequências devastadoras desses governos nos dias que correm na área político-administrativa, em todos os estados da federação. São estas as suas palavras, segundo a CNN/Brasil[i]:
 
“Somos uma instituição de Estado, não somos uma instituição de governo. Não temos partido. Nosso partido é o Brasil. Independente de mudanças ou permanências de determinado governo por um período longo, as Forças Armadas cuidam do país, da nação. Elas são instituições de Estado permanentes. Não mudamos a cada quatro anos a nossa maneira de pensar, de como cumprir as nossas missões”.
 
Os acontecimentos de nossa recentíssima história política, as declarações e as imagens das personagens que os vivenciaram, jamais poderão ser contestados, pois estão registrados nos meios eletrônicos, à disposição de quem precise avivar a memória daqueles que se fazem de esquecidos. Nada se perde, atualmente, se soubermos arquivar o passado para tê-lo sempre presente. 
Assim fiz, pondo os links correspondentes aos fatos citados, no fim do artigo e que consubstanciam as minhas argumentações.
 
Retornemos à fase dos governos, ideologicamente de esquerda, cujos resultados de seu plano estratégico de levar o Brasil à derrocada em todas as áreas de sustentação do Estado, são visíveis e de difícil recuperação, devido à compra de consciências no Congresso e no Supremo Tribunal Federal (STF), contaminados que foram, pela orgia de facilidades que lhes favorecia o Executivo, ocupado por duas fraudes políticas (Lula e Dilma) que transformaram o Brasil em “terra arrasada”, método da esquerda de eficácia comprovada.
 
Nesses anos de perversos crimes contra a Educação, transformada no universo “paulofreiriano” de inversão dos ensinamentos da paideia grega, que inspirou o conceito de formação moral e ética do homem na escola, adotado pelo mundo ocidental por estar inserido na filosofia judaico-cristã, vimos todo um conjunto conceitual de formação humana ser destruído por esquerdistas ateus e substituído pela negação dos valores que nesse conjunto se concentravam. O petismo venceu, pois atingiu seus objetivos: destruir as Instituições brasileiras desde que, comprados os seus dirigentes com a distribuição orgíaca do dinheiro público, viessem elas abaixo, levando consigo a organização sistêmica de governança, exterminando, de vez, o tradicionalismo no trato político.
 
A negação de valores comportamentais, a distorção semântica de termos usuais da língua, a fim de fazer face a objetivos ideológicos de Antonio Francesco Gramsci, fizeram acontecer um drástico movimento de indisciplina, de desrespeito às normas de conduta e de promiscuidade social de ressonância nacional, que permanecem reverberando em Instituições que não poderiam, jamais, ceder ao canto da insidiosa sereia: a ideologia de esquerda.
Vimos que o desconhecimento do povo brasileiro pela vida pregressa dos candidatos e do desinteresse em conhecê-la, permitiu a eleição de um agitador de porta de fábrica, que traía seus companheiros demitidos, ao fazer acordos, nos bastidores, com os dirigentes das empresas automobilísticas, de cujos quadros haviam sido excluídos esses mesmos companheiros, falsamente defendidos pelo arrivista torneiro-mecânico.
 
Semianalfabeto, mas, politicamente hábil trapaceiro, subiu ao pódio da República. Vimos, também, que após a faixa presidencial, acrescentou ao rol de suas qualidades negativas, a de dilapidador do erário e de receptador de propinas. Enquanto isso, D. Marisa, a Primeira-Dama, iniciava-se na gastança do dinheiro público em favor da ideologia, ao mandar plantar nos jardins do Palácio do Alvorada, flores vermelhas com o formato da estrela do PT[ii], símbolo que demonstrava que o novo governo governava para o Partido e, não, para o Brasil, numa agressiva afronta aos brasileiros patriotas. O que fizeram as Forças Armadas? Absolutamente, nada! O Partido, prezado General Pujol, mesmo antes de Nélson Jobim ocupar o Ministério da Defesa, já havia adentrado nos quartéis, e, por razões de autodefesa, o senhor não quis admitir.
 
Naqueles anos vermelhos, por trás do silêncio inquietante dos três Comandantes das Forças e da censura imposta pelo Exército a militares leais à sua Instituição e às ações vitoriosas de Generais do passado[iii], íamos avaliando o trabalho castrador do petismo dentro da caserna, demonstrado na passiva concordância dos Comandantes das Forças e de determinados Comandos de Organizações Militares ao omitir as datas representativas dos momentos cruciais pelos quais passou a Nação com a justa participação libertadora dos militares; ou, ignorá-las nas formais Ordens do Dia, dissociadas, inteiramente, do contexto pelo qual estávamos passando. O Exército, sempre laborioso nas solenidades de sua Instituição, sempre respeitoso aos seus ancestrais Chefes, de repente, fizera-se de esquecido para agradar a governos contrários às nossas tradições, governos que insistiam em isolar os militares, com a criação de uma aberrante denominação de “sociedade civil”, em evidente objetivo de dividir a Nação. Não há outro raciocínio.
 
Perdeu-se a vibração na voz dos militares ao darem entrevistas; perdeu-se o jeito militar de fazer declarações (militar não se manifesta, oralmente, sentado) e, na leitura das Ordens do Dia, foi-se perdendo a postura marcial, por denotarem insegurança ou receio de serem chamados de espartanos ou pretorianos, ou mesmo, por serem condicionados a adotar o jeito informal de ser, tão ao gosto dos governantes de então.
 
Somente o General Augusto Heleno, em 2007, quando à frente do Comando Militar da Amazônia (CMA), no Clube Militar, sede Centro, no auditório do quinto andar superlotado, ao dar uma importantíssima palestra sobre a situação amazônica, fez despertar a plateia para a realidade brasileira. Foi ele o primeiro a informar que havia 100 mil ONG na região; bandeiras de origem estrangeira, hasteadas, e o impedimento de brasileiros de entrarem nesta parte de seu próprio território. Em meio à estupefação geral e, direcionando a sua voz para Brasília, acrescentou: “As Forças Armadas servem ao Estado e não ao governo”. Declaração que causou desassossego em Lula, que dirigia o PT direto do Palácio do Planalto, sede oficial do Partido, pois esse militante nunca dirigiu o Brasil, apenas, o saqueou.
 
O Jornal do Brasil, no dia seguinte, divulgou a palestra, tecendo críticas às palavras do General Heleno que, em compensação, recebeu o vibrante apoio do Tenente-Brigadeiro Ivan Moacyr da Frota, divulgado no mesmo diário. O General Heleno veio a sofrer sanções do entreguista Lula. Tirou-o do Comando Militar da Amazônia. Porém, o General cumpriu a sua missão de informar aos brasileiros, verdadeiramente nacionalistas, verdadeiramente patriotas, sobre a ocupação silenciosa de terras naquela vasta região. Posteriormente, já Diretor do Departamento de Ciência e Tecnologia, este mesmo General foi impedido de homenagear, com uma palestra, a Contrarrevolução de 1964. (Nota 3)
 
Ao se referir a “permanência de determinado governo por um período longo”, certamente, o senhor General Pujol, lembrou-se das duas trágicas passagens de Lula e Dilma pelo Executivo, mas se esqueceu das omissões das Forças Armadas.
 
Vimos a guerrilheira, assaltante de bancos, participante do roubo do cofre da amante de Adhemar de Barros, na ocasião governador de São Paulo; vimos essa fora da lei, pertencente à célula dos celerados que assassinaram o soldado Mário Kozel Filho, na porta do Quartel do, então II Exército, ser elevada ao posto máximo da República e jogar fora o dinheiro brasileiro com a negociata da Refinaria de Pasadena. Estes foram os Chefes de Estado que, enquanto estiveram no Poder, não sofreram quaisquer contestações e admoestações dos Ministros da Defesa e dos Comandantes das Forças Armadas.
 
Apesar do histórico negativo dessas duas criaturas; apesar de o dinheiro do contribuinte brasileiro ter viajado para obras em países de ditadores comunistas[iv], enquanto as Forças Armadas mantinham-se em precária situação de poderio bélico e, portanto, sem poder dissuasório (a “pólvora”), por efeito de contingenciamento de verbas; apesar de essas Forças, sem condições de alimentarem a tropa, terem de diminuir o horário de expediente nas Organizações Militares; apesar de a Refinaria da Petrobras, na Bolívia, ter sido presenteada a Evo Morales por Lula, como se fosse de sua propriedade particular, ou do PT, conforme, posteriormente, ele próprio declarou, em vídeo[v], não soubemos de nenhuma movimentação nos quartéis em sinal de mal-estar dos Generais.
 
Ah! Sim! Sejamos justos! Ouvimos a solitária, porém, potente voz do General Maynard Marques de Santa Rosa, ao criticar o Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH)[vi]. Custou-lhe a exoneração do Departamento Geral do Pessoal (DGP), sugerida pelo próprio Comandante do Exército, General Enzo Peri ao Ministro Jobim. Os demais calaram-se para não perderem suas tão caras funções.
 
Essas duas figuras, que envergonharão a História do Brasil, a partir de suas desagradáveis presenças como pessoas públicas, foram Comandantes em Chefe das Forças Armadas Brasileiras. Conscienciosos civis, dos quais faço parte, ficaram em expectativa para ver se os Generais prestariam ou não continência a tão vis protagonistas. Para decepção da parte consciente da Nação, minha, inclusive, aconteceu: a continência foi prestada! Logo, seguiu-se a obediência aos dois vendilhões da Pátria!
 
Vimos, um Ministro da Defesa, civil (Jobim), envergar e enodoar a farda de General de Exército[vii], num ato de “falsa identidade ideológica” e não ser advertido, levando-se em conta a observância do Regulamento Militar, que ele deveria acatar e ao qual estaria condicionado. O Ministro Jobim, naturalmente, satisfez seu desejo enrustido, de pertencer à mais alta patente da Força Terrestre, por mero capricho, por não ter mérito para tanto. Sua desfaçatez chegou ao auge quando afirmou que “os militares (os verdadeiros) são um risco no Ministério”[viii]. Porém, como seguidor da esquerda, seu trabalho era destruir a imagem das Forças e, não, respeitá-las.
 
O dever dos Comandantes das Forças, no entanto, era o de defender a imagem de suas Instituições, o que não vimos acontecer. Ao lado da onça pintada[ix], digno animal de nossa selva amazônica, usado para a sua publicidade, o então ministro posava como coadjuvante de baixa categoria. Quanto à onça, talvez, sedada pelo odor do esquerdista, não fez o que o instinto de animal selvagem manda fazer. Que pena!
 
Esse Ministro, para mais desmoralizar o Exército, fez seu assessor, o deputado José Genoíno[x], guerrilheiro covarde, que levou à morte, um adolescente, com requintes de crueldade, na frente dos pais, no Araguaia, onde o então Major Lício Maciel foi encontrá-lo. E os militares ... calados!
 
Assistimos à distribuição de condecorações postas no peito de esquerdistas, inimigos e caçadores de militares em épocas não tão distantes assim, que, silenciosamente, deveriam estar-se vangloriando em ver os “milicos” prendendo-lhes no paletó, as mais altas comendas de suas respectivas Forças: do Pacificador (Exército), de Santos Dumont (Aeronáutica) e de Tamandaré (Marinha), que nada valem para eles, sempre guerrilheiros, sempre contra o Brasil, sempre a favor da escravidão comunista. Dona Marisa, agraciada com a medalha de Santos Dumont, com a tropa formada, deveria estar intrigada (ignorante que era) em saber quem foi esse “Santos”, no plural[xi] que lhe puseram no seu vestido de grife. Da mesma forma, Franklin Martins, o sequestrador do embaixador americano Charles Elbrick, recebeu com toda a pompa a Medalha de Tamandaré, do então Comandante da Marinha[xii] que lhe fez uma reverenciada continência. Muito estranha essa conivência e convivência com os contrários! Ou, nós, erradamente, pensávamos que fossem contrários.
 
Acrescente-se à enxurrada de condecorações, a desfaçatez de pregar no paletó do covarde José Genoíno, o do Araguaia, que o hoje Coronel Lício Maciel tão bem conhece, a Medalha do Pacificador das mãos do General Albuquerque[xiii], Comandante do Exército, à época; e outra, em frente ao Monumento aos Pracinhas, no Rio de Janeiro[xiv], que lhe pespegou o seu (dele, Genoíno) amigo Jobim, numa ofensa aos ex-combatentes que ali estavam merecidamente, numa solenidade pelo Dia da Vitória, em homenagem aos integrantes da Força 
Expedicionária Brasileira (FEB).
Como um indivíduo covarde, que combateu contra o Brasil, a favor da revolução cubana, pôde receber uma medalha, sagrada para os ex-combatentes que foram defender a Pátria? Isso é uma agressão à inteligência e ao nacionalismo da parte fiel à Nação, por ser promíscuo em demasia.
 
Em 2020, o Comandante da Aeronáutica fez entrega de medalha a um dos maiores traidores da Pátria, covarde e invejoso, problemático e chorão, Rodrigo Felinto Ibarra Epitácio Maia, Presidente da Câmara, talvez, por ter alcançado a milhagem de voo, que graciosamente a Força Aérea Brasileira (FAB) oferece aos parasitas da Nação[xv]. Ou, talvez, por ter saudado a Revolução Comunista de 1917[xvi], no seu centenário, na mesma Câmara Federal, local de escambos e tramas contra o governo legitimamente constituído de Jair Messias Bolsonaro.
 
Ministros da Defesa e Comandantes das Forças rezaram pela mesma cartilha governamental, para decepção da parcela consciente de civis, respeitadores das suas Forças Armadas, verdadeiros cidadãos e patriotas, mas ingênuos que, desconhecendo os bastidores militares, pediam, “Intervenção, já!” pela libertação do País das mãos dos comunistas. E agora, ouvimos do senhor Comandante do Exército, General Pujol, afirmações românticas de que “Nosso partido é o Brasil” e de que “Não mudamos a cada quatro anos a nossa maneira de pensar, de como cumprir as nossas missões”. Claro que não, General, o Partido (que não é o Brasil) já tinha imposto às Forças o seu próprio pensamento.
 
Se o Partido das Forças Armadas, verdadeiramente, fosse o Brasil e se as Forças Armadas cuidassem do País, da Nação, como o Senhor General Pujol afirmou, o Exército não estaria ministrando a militares estrangeiros a estratégia de sobrevivência na selva[xvii], se não há outra selva a invadir, senão, a nossa Amazônia. De maneira lógica, somos levados a pensar que estão transferindo aos nossos potenciais inimigos conhecimentos e meios de nos derrotarem na parte do território brasileiro mais cobiçado pelos governos desses mesmos militares, piratas modernos. Incompreensível essa transferência de conhecimentos sobre o maior curinga que o Brasil teria, se não tivéssemos um Exército tão propenso a ceder a acordos prejudiciais à Nação Brasileira. Se o Exército viesse a se tornar uma muralha a militares-espias de outras nações, poderíamos dizer que seria, realmente, o único país a ter “Guerreiros de Selva”, no mundo! Ao contrário, já há esse tipo de Guerreiros espalhados pelo mundo afora, cujos instrutores são os próprios militares brasileiros.
 
É essa a doutrina militar atual, de característica entreguista, que determina o pensamento das nossas Forças Armadas? Então, estamos órfãos de defensores; estamos à mercê dos acontecimentos, porque não sabemos de que lado os senhores Generais estão.
 
A partir de 2018, elegemos um Presidente de direita, Capitão do Exército, Reformado, que lutou sozinho, por vinte e oito anos, enquanto Deputado, contra os roubos e as infâmias que os esquerdistas, agentes da destruição do País, constantemente punham em prática, inclusive, contra as Forças Armadas. Defensor do Tradicionalismo, da Família, da Educação, dos valores éticos e morais, homem simples, porém, autêntico, que escandaliza os hipócritas porque diz a verdade; não rouba o erário e não permite que o saqueiem; por essas mesmas razões, é atacado por todos os flancos, inclusive por algumas altas patentes da Força à qual pertenceu. Por que o General Santos Cruz não fica calado[xviii]? Já o defendi em artigo, mas incomodam as suas declarações, fora de propósito, que só fortalecem os adversários. Esses militares são inconvenientes e incoerentes nas suas argumentações, porque sabem que não haverá retaliação do Presidente.
 
Essa é uma das razões pelas quais os Generais nada falavam quando o governo era vermelho. Receio de perderem as suas funções ou, quem sabe, por unidade de pensamento com o próprio governo.

https://www.youtube.com/watch?v=M_R3-ZW6Zgw

iihttps://www.google.com.br/search?q=imagem+da+estrela+petista+no+jardim+do+pal%C3%A1cio+do+planalto&tbm=isch&sxsrf=ALeKk03IZHKX6LMK_wHiOLK_LAWrSqdM8w:1609209569217&source=lnms&sa=X&ved=0ahUKEwjA4PfllPLtAhUyC9QKHUyvAugQ_AUICygB&biw=1277&bih=615&dpr=1#imgrc=kaLIiOX1g7w-YM
iii https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/425956/noticia.htm?sequence=1&isAllowed=y   
 
ivhttps://www.youtube.com/watch?v=UwQRJkS_FI4
 
v https://www.youtube.com/watch?v=xurY0LOvgAU
 
vi http://g1.globo.com/Noticias/Politica/0,,MUL1485711-5601,00-GENERAL+QUE+CRITICOU+PROGRAMA+DE+DIREITOS+HUMANOS+E+EXONERADO.html
viihttp://bp3.blogger.com/_HY_TtmInUpk/Rr4o20lourI/AAAAAAAAACE/deHIHlMpVcQ/s1600-h/General+de+Ex%C3%83%C2%A9rcito+Jobim.jpg
 
viiihttps://www.montedo.com.br/2018/10/06/militares-no-ministerio-sao-um-risco-diz-nelson-jobim/
 
ixhttp://irapuanteixeira.blogspot.com/2014/02/guardioes-da-amazonia-e-do-brasil.html
 
xhttps://www.gazetadopovo.com.br/vida-publica/jobim-convida-ex-guerrilheiro-jose-genoino-para-a-defesa-dr4reym3da82ydebiiu4ufnm6/
 
xihttps://www.google.com.br/search?q=imagem+de+dona+marisa+recebendo+a+medalha+santos+dumont&tbm=isch&sxsrf=ALeKk00MGbaLfvODebw9HeZME1T5ybIdog:1609209942661&source=lnms&sa=X&ved=0ahUKEwiE94CYlvLtAhX9HrkGHY-_BAkQ_AUIDCgC&biw=1277&bih=615&dpr=1#imgrc=t8l25fS2-NjMQM
 

xii https://www.google.com.br/search?q=imagem+de+franklin+martins+recebendo+a+medalha+de+tamandar%C3%A9&tbm=isch&ved=2ahUKEwiw2oaglvLtAhUmMrkGHXuNCNsQ2-cCegQIABAA&oq=imagem+de+franklin+martins+recebendo+a+medalha+de+tamandar%C3%A9&gs_lcp=CgNpbWcQDDoHCCMQ6gIQJzoCCAA6BQgAELEDOggIABCxAxCDAToECCMQJzoKCAAQsQMQgwEQQzoECAAQHjoGCAAQChAYOgQIABADOgYIABAIEB46BAgAEBhQ_8UFWNnoBmDjmwdoA3AAeAGAAZUBiAHSNZIBBDkuNTSYAQCgAQGqAQtnd3Mtd2l6LWltZ7ABCsABAQ&sclient=img&ei=Z5jqX_CKIKbk5OUP-5qi2A0&bih=615&biw=1277#imgrc=Pq4ByUpYhjXyCM
xiii https://www.montedo.com.br/2013/11/21/genoino-e-medalha-do-pacificador-vai/
 
xivhttps://www.google.com.br/search?q=imagem+de+jobim+condecorando+geno%C3%ADno+no+monumento+aos+pracinhas&sxsrf=ALeKk02c0Kf4kx3aIOFA0ROWidHyoPMIMQ:1610321783732&tbm=isch&source=iu&ictx=1&fir=gknPMqEiYsmPkM%252CVcWpbexj6TD4-M%252C_&vet=1&usg=AI4_-kTjIgah-kk1rpJQI6XP3cPpTAHBPw&sa=X&ved=2ahUKEwjrkpKPxJLuAhWaJrkGHWFTAukQ9QF6BAgLEAE#imgrc=gknPMqEiYsmPkM&imgdii=m16cpEvT6GmlQM
 
xv https://www.fab.mil.br/noticias/mostra/35003/ https://www.youtube.com/watch?v=4LJcEuPRloc
 
xvi https://www.youtube.com/watch?v=_J1hSmJCJLc
 
xvii https://www.youtube.com/watch?v=bmFh3cJQgYM
 
xviii https://www.youtube.com/watch?v=dOkgi5HAEBY    https://www.youtube.com/watch?v=mN8nAnUEJt0

Alerta Total às 09:04:00

Assine Nossa Newsletter

E Receba nossas novidades em seu email

SCLN 302 - Bloco B - Sala 101
Cep: 70.723-520
Brasília-DF
Brasil

Telefone: (61) 3327-3409

cantidio.png